TAP ME alcança lucro: trabalhadores continuarão pagando a conta?

0

Desde o começo das demissões na TAP ME Porto Alegre, a justificativa da empresa para todo esse processo era que a base não dava lucro. Agora, pelo segundo trimestre consecutivo, a base em que trabalham os aeroviários gaúchos está apresentando resultados positivos.

Na reunião da última terça-feira (12), a diretoria da TAP ME afirmou que o lucro deste segundo trimestre está sendo de 10 milhões de reais, resultado ainda mais substancial que no primeiro período deste ano. Também conforme a presidência da empresa, os objetivos financeiros foram alcançados.
O questionamento do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre perante todas essas afirmações é um só: agora as demissões na TAP ME não acontecerão mais? A entidade sindical espera que com a afirmação de terem alcançados seus objetivos, os gestores da TAP ME revejam demissões que aconteceram por critérios duvidosos. O Sindicato também afirma que a situação em que a empresa se encontra hoje deve-se muito ao que foi feito pelos próprios gestores nos últimos anos, que mantiveram altos cargos e salários sem função definida, mas demitiram sumariamente trabalhadores jovens e produtivos.

“Os aeroviários não podem mais pagar a conta da péssima gestão da TAP ME”, condena o Sindicato.

Veja outros pontos da reunião:

Extensão do acordo para demitidos – A empresa solicitou uma extensão do acordo para os demitidos até 31 de julho deste ano. Este é o acordo que dá quatro salários, cinco anos de plano de saúde para titular e dependentes e de passagens aéreas TAP. Segundo a presidente da empresa, trabalhadores solicitaram a extensão deste prazo para acordo. O Sindicato afirma que primeiro irá consultar o seu departamento jurídico sobre formas de viabilizar esta extensão, e depois realizará uma assembleia com os trabalhadores para deliberação.

Hangares 1, 2 e 5 – Quem esteve na TAP ME nesta última semana ouviu os rumores nos corredores sobre a devolução desses Hangares para a Fraport. O Sindicato levou esse assunto para mesa de reuniões e pediu explicações. A presidente da empresa alega que há um estudo de realocação dos trabalhadores dos hangares 1, 2 e 5 para os hangares 3 e 4 e que também haverá um processo seletivo para vagas nas oficinas. Segundo ela, a devolução desses locais resultaria em uma diminuição do valor do contrato de aluguel firmado com a gestora do Salgado Filho, o que é de interesse da empresa. O Sindicato reconhece o péssimo ambiente causado por esse estudo e solicita para a TAP ME que as decisões tomadas sejam divulgadas o quanto antes e com clareza para a categoria.

Plano de saúde – Por solicitação dos aeroviários que possuíam tratamentos ou quaisquer agendamentos no Hospital Moinhos de Vento, o Sindicato negociou e garantiu a manutenção desses procedimentos. Os trabalhadores devem procurar o RH da empresa.

Nova gerência no RH – Marta Ficagna é a nova Gerente de RH da TAP ME BRASIL. O Sindicato espera que a mudança gere uma melhora no atendimento aos trabalhadores e que facilite a tratativa de solicitações.

Trabalho em Portugal – Dos 48 trabalhadores que foram aprovados para a última etapa de seleção, apenas 19 candidatos aceitaram a proposta da aérea portuguesa em Porto Alegre. Segundo a diretoria da empresa, a proposta será estendida para a base carioca nos mesmos moldes, inclusive com a cobertura do plano de saúde para os familiares no período de 6 meses, conquista do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre.

Proposta de transferência para o Rio de Janeiro – A TAP ME está oferecendo para os trabalhadores gaúchos a possibilidade de serem transferidos para a base carioca. O Sindicato cobrou mais informações sobre os motivos dessas transferências e recebeu da diretoria da empresa como explicação que a base GIG estaria com déficit de pessoal.

Share.

Leave A Reply

6 + 6 =