TAP ME: Promoções misteriosas precisam ser esclarecidas

0

Às 9h desta terça-feira (22), Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre e presidência da TAP ME se reuniram mais uma vez para tratar de solicitações dos trabalhadores. Dentre as pautas, pontos polêmicos como boatos de falta de demanda de trabalho, informações desencontradas do departamento de Recursos Humanos e trabalho em Portugal foram discutidos. Veja abaixo os tópicos que foram tratados na reunião:

– A sensação de pânico disseminada por trabalhadores que alegam ter informações de que a TAP ME não teria trabalho para os próximos meses foi rebatida pela presidência, que garantiu trabalho até o final do ano. Frente a essa informação, o Sindicato solicitou que a presidência comunique os aeroviários sobre a programação do trabalho na base de Porto Alegre.

– Foi provado, com documentações, o que o Sindicato já afirmou em seus boletins e reuniões com a empresa: promoções foram dadas para trabalhadores sem o consentimento da presidência. A promoção dessas pessoas foi negada pelos gerentes nas reuniões entre Sindicato e empresa, que alegaram que esses aumentos salarias não teriam acontecido. Para o Sindicato, esta situação comprova o que pode ser configurado como um grupo que se beneficia, excluindo trabalhadores merecedores de aumentos, isso tudo numa época em que a TAP ME alega demitir por falta de recursos. Ainda para a entidade sindical, esses responsáveis precisam ser cobrados de maneira exemplar por suas informações.

– 48 dos 140 trabalhadores que entregaram o documento solicitando trabalho em Portugal foram selecionados pela empresa. Estes aeroviários serão chamados entre os dias quatro e sete de junho para negociar condições com os representantes da sede portuguesa da empresa. Também na reunião, o Sindicato garantiu 6 meses de plano de saúde para os dependentes dos aeroviários que forem para Portugal. Sobre o trabalho em Portugal, o Sindicato primeiramente lamenta a forma como foi conduzida por parte da TAP ME, que não informou pré-requisitos ou critérios de seleção, criando falsa esperança em muitos dentro da empresa.

– Os estagiários estão recebendo um auxílio passagem muito inferior ao que efetivamente gastam para ir trabalhar. Já que a bolsa-auxílio que recebem já é pequena, esses estudantes estão muito prejudicados pela empresa. O Sindicato solicitou que o valor repassado como auxílio-passagem seja revisto pela TAP ME.
– O Sindicato cobrou novamente da TAP ME os documentos que devem ser encaminhados para a EPTC solicitando a sinaleira entre as ruas 18 de novembro e Edu Chaves. A entidade relembra que “já perdemos um colega ali e uma tragédia pode acontecer novamente.”

– Também foi cobrado o levantamento do estacionamento para que vagas de colegas que já saíram da empresa sejam repassadas, trabalho que é prometido há seis meses, mas não vem acontecendo.

– Aeroviários que trabalham nos finais de semana estão sem a presença de um técnico do Sesmt, o que não cumpre as Normas Regulamentadoras. Para o Sindicato, esta é uma falta gravíssima e que inclusive já rendeu acidentes na empresa. A entidade solicitou que um técnico seja destacado para os turnos.

– Por diversas questões como férias de trabalhadores, falha de comunicação por parte da empresa e falha de divulgação, o Sindicato solicitou que seja vista uma nova data para uma segunda vacinação contra a gripe para os trabalhadores.

 

Share.

Leave A Reply

1 + 8 =