Aeroviários e aeronautas lançam campanha salarial nesta segunda (30/10) nos principais aeroportos do país

0

Com a hastag #JuntosFazemosaDiferença, os sindicatos filiados à Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac/CUT) e à Federação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aéreos (FNTTA), lançarão, nesta segunda-feira (30/10), nos principais aeroportos do país, a campanha salarial unificada de cerca de 70 mil aeroviários e aeronautas.

O objetivo do lançamento é valorizar os trabalhadores e mobilizá-los para participar da campanha. Estão programados atos e panfletagens nos check-ins das empresas aéreas e nas áreas de embarque e desembarque de passageiros do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre (a partir das 5h, e às 11h na TAP ME), Aeroporto de Guarulhos (às 6h), Aeroporto de Recife (às 6h). Nas bases do Sindicato Nacional dos Aeroviários, acontecerão atividades durante todo o dia nos aeroportos de Salvador, Fortaleza, Brasília, Belém, Curitiba, Aracaju, João Pessoa, Navegantes, Campo Grande, MacéioL, Vitória, Joinville, São Luís, Macapá, Foz do Iguaçú, Palmas, Florianópolis, Santarém, Imperatriz, Natal, entre outros. A FNTTA realiza atos, entre 6h e 21h, nas suas bases em Congonhas, Confins, Rio Janeiro, Campinas e Manaus.

Os trabalhadores lutam para sensibilizar as empresas aéreas sobre a importância de valorizar o trabalho dos aeroviários (atendentes de check-in, limpeza dos aviões, mecânico de manutenção de aeronaves, auxiliar de rampa e bagagem, despachante de voo entre outras funções em solo) e dos aeronautas (comissários de voo, pilotos e copilotos), sendo que todos esses trabalhadores são responsáveis pela segurança das operações e de voo de milhões de passageiros todos os dias.

“Estamos lutando pela manutenção dos direitos conquistados e por avanços nas pautas econômicas e sociais. O país vive um cenário de incertezas trazidas pela Reforma Trabalhista. Diante disso, essa negociação precisa ser justa com os trabalhadores”, explica Sérgio Dias, presidente da Fentac/CUT.

A Federação destaque que, no último ano, ocorreram muitas demissões no setor, gerando  aumento da produtividade, e houve também gradual e importante recuperação econômica das empresas aéreas, e que esse esforço dos trabalhadores precisa ser recompensado através de reajuste digno, aumento real e manutenção dos direitos sociais expressos nas convenções coletivas já firmadas.

Já ocorreram duas rodadas de negociação com o sindicato patronal das empresas aéreas, e outras três estão marcadas para 31 de outubro, 7 e 21 novembro. A data-base dos trabalhadores é 1º de dezembro. As empresas ofereceram reajuste igual à inflação, mas os aeroviários e aeronautas defendem que a proposta é insuficiente, porque desconsidera o bom desempenho da aviação, o forte aumento da demanda de passageiros e da oferta de voos. A luta das categorias é por reposição integral do INPC e ganho real no salário, totaliza 5% de reajuste. Segundo dados do Dieese, das 300 negociações salariais realizadas este ano, 60% conquistaram ganhos acima da inflação.

Share.

Leave A Reply

2 + 7 =