Aeroviários da TAP ME são vítimas de descarga elétrica durante temporal

0

Nesta segunda-feira (12/9) à noite, quatro trabalhadores da TAP ME que atuavam junto a uma aeronave em frente ao hangar 4 sofreram uma descarga elétrica oriunda de um raio que atingiu as imediações. Todos foram atendidos no hospital e depois liberados, a princípio, sem sequelas.

“Felizmente, eles escaparam de um incidente que poderia ter tido consequências fatais. O caso demonstra mais uma vez que a TAP ME não se preocupa como deveria com os procedimentos de segurança do trabalho. Mais uma vez a empresa falhou com os trabalhadores”, alerta a direção do Sindicato.

Nesse dia, desde às quatro horas da tarde, a Defesa Civil informava a iminência de um temporal, com queda de raios e tempestade de ventos fortes. Às 18 horas, o tempo estava totalmente fechado, com início de chuva e raios. Os trabalhadores executaram o serviço na aeronave às 20 horas, quando mandaram eles fecharem o avião pois o temporal estava se formando.

O Sindicato alerta que chefes e supervisores têm obrigação de se programar para cumprir os procedimentos de acordo com os avisos da Defesa Civil. “O que vemos é que não há treinamento feito pela empresa para isso”, diz o Sindicato. A entidade irá denunciar o incidente à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE).

AUDIÊNCIA NA SRTE – O Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre participa, na sexta-feira (16/9), às 10 horas, de audiência com a TAP ME, na SRTE. A mediação foi solicitada pela empresa e tem como pauta o horário de trabalho dos funcionários. O Sindicato não sabe qual a mudança ou proposta que a TAP ME pretende defender, ou para quais setores ela se aplicaria, mas já adianta que não irá aceitar nenhuma alteração sem antes discutir e deliberar sobre a proposta junto com a categoria, em assembleia.

ATROPELAMENTOS – Dois aeroviários que atuam junto à TAP ME foram atropelados, nesta terça-feira (13/9), por uma moto, na esquina da XVIII de Novembro com a Edu Chaves. Eles foram levados ao hospital e depois liberados. O Sindicato explica que houve, nesse caso, um acidente de trajeto relacionado ao trabalho. A entidade vem lutando há anos junto à empresa, Prefeitura e EPTC para melhorar a sinalização neste cruzamento, considerado extremamente perigoso, principalmente para os pedestres. “Vemos azuizinhos atrás das árvores para multar os carros, mas nenhum para auxiliar os pedestres no cruzamento, que não tem sequer faixa de segurança. Já abrimos pedido na EPTC e até hoje não obtivemos resposta. Precisamos nos mobilizar ainda mais para reverter essa roleta russa”, destaca a entidade, que fará um ato público com os trabalhadores, em breve, por melhorias no local.

REFEITÓRIO – O Sindicato vai encaminhar denúncia aos órgãos competentes, diante da falta de ação da TAP ME para garantir o mínimo de higiene e qualidade na alimentação do refeitório. A entidade e os trabalhadores vêm lutando para que a empresa corrija esses problemas, ou distribua ticket alimentação. Os aeroviários seguem extremamente insatisfeitos.

Share.

Leave A Reply

2 + 7 =